top of page

NÃO LAMENTEM MEUS MORTOS



Rodolfo Costa e Silva


FORMAÇÃO

Advogado formado pela Faculdade de Direito (Largo São Francisco) da Universidade de São Paulo (USP).

• Pós-graduado em Engenharia Hidráulica. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

• Graduado em Engenharia Civil. Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).


EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

. Atividade atual – Consultor em Engenharia

Atividades 2012 a 2015

- Coordenador dos Planos de Requalificação das Marginais do Sistema Tietê-Pinheiros e de Despoluição dos Rios da RMSP.

1999 a 2011 – Deputado Estadual

- É autor da Lei que criou a Política Estadual de Resíduos Sólidos do Estado de São Paulo (Lei 12.300/2006).

- Foi Presidente da Comissão de Meio Ambiente, onde denunciou a SHELL e outras empresas por danos ambientais.

•1995 a 1998 – Diretor vice-Presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo com atribuição para dirigir a operação dos municípios do interior

• 1983 a 2015- Engenheiro da SABESP

- Engenheiro da Superintendência de Tratamento de Esgotos

- Gerente de Controle de Qualidade da Água

- Gerente do Departamento Distrital de Campo Limpo

- Gerente de Departamento Técnico

- Assessor da Diretoria de Operações Metropolitana




As autoridades se desgastam menos comprando uma coroa de flores para cada morto, nas tragédias urbanas, do que enfrentando as futuras vítimas e os oportunistas que fazem barricadas para defender as ocupações clandestinas pelo País afora. Aliadas de um sistema jurídico e de disciplinamento do uso e ocupação do solo equivocado e obsoleto, as ocupações desordenadas, aparentemente humanistas, contam com vereadores e aspirantes, deputados e aspirantes, administradores públicos, líderes populares e aspirantes, associações omissas, organizações criminosas, e até com apoio de ministros, pois, assim, do jeito que está, a responsabilidade é divina e todos choram, mas seguem seus caminhos de sucesso, pois fizeram tudo que foi possível. Mentira!!! Nunca fizeram nada!!!

O problema cresce a olhos vistos, ano após ano. Somos hipócritas. Um País de cretinos não tem direito de reclamar. Não lamentem nos meus ouvidos, principalmente os que conhecem as soluções fáceis e possíveis, os nossos mortos. Nunca fizemos nada para mudar as coisas. Detesto lamentações falsas, poupem meus olhos e meus ouvidos deste rosnar meloso de sofrimento de fachada. Chega deste tratamento novelesco, de contar mortos e procurar, inutilmente, culpados no espaço e no tempo. Todos nós somos culpados e aceitamos esta estupidez nacional de maneira fingida, cúmplice e assassina. Enquanto aceitarmos o discurso pseudo humanista do " bonzismo", uma quantidade enorme de brasileiros sofredores, ignorantes, ilegais, criminosos, oportunistas e irresponsáveis, e a sociedade como todo teremos perdas e prejuízos pelos quais muitos ignorantes inocentes pagarão até com a própria vida.

Então, vamos combinar o seguinte: fechemos nossas matracas de cretinos, enterremos mais estes mortos prenunciados e, então, chorosos, uns fingem que vão resolver os problemas sabidos, e de sempre, e os outros fingem que reclamam. Afinal, todos nós, na verdade, aceitamos as mortes das chuvas, dos incêndios, do crime organizado e da estupidez geral como acidentais, pois continuamos a manter tudo, absolutamente, como está; assim foi e assim será...





98 visualizações3 comentários
bottom of page